sábado, 20 de setembro de 2008

(Ana Paula Melo - escrito em 13/02/1999)
.
Cada vez que te abraço é como se eu estivesse nas nuvens.
E toda vez que teus lábios encostam nos meus, sinto um caláfrio.
É como se minha alma saísse do meu corpo e flutuasse
e ali ficasse extasiado, onde apenas alguns instantes
de prazer e de dor, por pensar que eles não são meus
e nem poderão ser, se tornam eternos.

Nenhum comentário: