sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

(Ana Paula Melo - escrito em 06/04/2008 )

As pessoas passam uma vida inteira tentando decifrar os sentimentos dos outros, seja o de um amigo, de um companheiro ou até mesmo o do inimigo. Estudar o comportamento humano está no íntimo de cada ser, pois é desta forma que se pode criar uma estratégia de defesa, seja esta para animar alguém ou para destruir. Mas se esse entendimento sobre os sentimentos alheios fossem decifráveis e compreensíveis não existiria a Psicologia Humana, que através de seus grandes estudiosos, buscam compreender a mente do ser humano e suas relações com o ambiente. O que cada um sente, as suas angústias, tristezas, desilusões, amores, paixões, alegrias e tristezas, por mais que o outro se faça entender, ninguém está realmente apto para compreender totalmente esses sentimentos, pois se fossem fáceis não estariam classificados como um ser abstrato e sim estaria na lista dos seres concretos.Os sentimentos humanos envolvem todo um conjunto de acontecimentos ao longo das suas vidas e experiências que o tornam um ser exclusivo, onde a tristeza de uma grande decepção amorosa de uma pessoa, por exemplo, nunca vai ser a mesma de outra, mesmo que a situação seja exatamente igual, a maneira de se tratar com essa situação, a profundeza dos sentimentos serão diferentes. Nem mesmo nas relações entre um homem e uma mulher há a verdadeira compreensão do que o outro está sentindo, tem-se apenas um vago entendimento baseado nas suas próprias experiências, mas saber realmente o que o outro está sentindo, só a própria pessoa para fazê-lo.Por maior que seja o nosso interesse de ajudar o próximo nas questões sentimentais, o mais próximo que podemos chegar é o de dar uma palavra que possa confortar baseado no censo comum e estar ao lado deste enquanto estiver passando por dificuldades, para que não se sinta abandonado, pois a verdadeira força vem de dentro de si mesmo e só a própria pessoa é realmente capaz de superar os seus dramas, tornando isto um aprendizado para a sua própria vida.

Nenhum comentário: